Análise de metais pesados em Araras Azuis

Coordenação: Marina Drago Marquesi
Equipe: Marina Drago Marchesi, Dr. João Luiz Rossi Junior e Neiva Guedes

As Araras azuis são animais especialmente vulneráveis às mudanças produzidas no meio ambiente devido ao aumento da poluição e o desenvolvimento da população humana (Temple, 1993). Devido a sua anatomia e fisiologia, são animais mais propensos a intoxicações. O sistema respiratório dispersa mais rapidamente as partículas e gases tóxicos inalados. Outros fatores são a alta taxa metabólica que contribui para a rápida distribuição do agente tóxico e a baixa concentração de gordura corporal que não favorece o acúmulo da toxina no tecido adiposo e conseqüentemente o agente tóxico se dispersa mais rapidamente (Cubas, Z.S & Godoy, S.N, 2010). Esta pesquisa tem como objetivo analisar o teor de metais pesados presentes em Araras azuis do Pantanal afim de descobrir se estas apresentam níveis de contaminação em vida livre. É importante salientar que não se conhece estes valores e que isto pode refletir uma medida de contaminação ambiental que pode acometer todos os níveis da cadeia alimentar, inclusive os humanos.